Escola Legal


01/03/2013


Rio Branco - Sede Náutica - Tem coragem?

Tente achar minha casa...

Escrito por escolalegal às 16h40
[ ] [ envie esta mensagem ]

Aula de química - propriedades da matéria

EE e CIEP Jaguari/Silvino

A Química é a ciência que estuda a constituição da matéria, sua estrutura interna, as relações entre os diversos tipos de materiais encontrados na natureza, além de determinar suas propriedades, sejam elas físicas – como, por exemplo, cor, ponto de fusão, densidade, etc. – ou químicas, que são as transformações de uma substância em outra.


A. Matéria, Corpo e Objeto

Chamamos matéria a tudo que tem massa, ocupa lugar no espaço e pode, portanto, de alguma forma, ser medido. Por exemplo: madeira, alumínio, ferro, ar, etc.


Corpo é uma porção limitada da matéria e objeto é um corpo fabricado para um determinado fim.


Resumindo, podemos dizer que o ferro é matéria, uma barra de ferro é um corpo e um portão de ferro é um objeto.


B. Propriedades da Matéria

A matéria apresenta várias propriedades que são classificadas em gerais, funcionais e específicas.


I. Propriedades Gerais da Matéria

São comuns a toda e qualquer espécie de matéria, independentemente da substância de que ela é feita. As principais são: massa, extensão, impenetrabilidade, divisibilidade, compressibilidade e elasticidade.

• Massa

Todos os corpos possuem massa.

• Extensão

Todos os corpos ocupam lugar no espaço.

• Impenetrabilidade

Dois corpos não ocupam, ao mesmo tempo, um mesmo lugar no espaço.

• Divisibilidade

Os corpos podem ser divididos em partes cada vez menores.

• Compressibilidade

Os corpos possuem a propriedade de poder diminuir de tamanho, sob a ação de forças externas.

• Elasticidade

Os corpos possuem a propriedade de voltar à forma e volume originais, cessada a causa que os deformou.


II. Propriedades Funcionais da Matéria

São propriedades observadas somente em determinados grupos de matéria. Esses grupos são chamados funções químicas, e as principais são: ácidos, bases, sais e óxidos que serão estudados oportunamente.


III. Propriedades Específicas da Matéria

São propriedades que permitem identificar uma determinada espécie de matéria. Dentre as propriedades específicas, podemos citar:
Propriedades físicas: ponto de fusão, ponto de ebulição, densidade.
Propriedades organolépticas: odor, sabor.
Propriedades químicas: reações químicas.


C. Estados Físicos da Matéria

1 – Estado Sólido: as substâncias apresentam formas definidas e seu volume não varia de forma considerável com variações de temperatura e pressão.

As partículas que constituem o sólido encontram-se ligadas uma às outras de modo que não podem movimentar-se livremente.


2 – Estado Líquido: as partículas que constituem o estado líquido não estão unidas fortemente, visto que deslizam uma sobre as outras, adaptando-se à forma do recipiente que as contém, mas estas forças de atração entre as partículas são suficientemente fortes para que não ocorra variação no volume e as partículas dificilmente podem ser comprimidas.


3 – Estado Gasoso: as substâncias apresentam densidade menor que a dos sólidos e líquidos, ocupam todo o volume do recipiente que as contém, podem expandir-se indefinidamente e são comprimidas com grande facilidade. Este comportamento pode ser explicado pelas forças de atração entre as partículas muito fracas as quais possuem, portanto, alta mobilidade.


D. Mudanças de Estado

 

Fusão: passagem do estado sólido para o líquido.

Solidificação: passagem do estado líquido para o sólido.

Ponto de Fusão: é a temperatura constante na qual um sólido se transforma num líquido.

Os pontos de fusão e solidificação ocorrem numa mesma temperatura.

Vaporização: é a passagem do estado líquido para o estado gasoso. A vaporização pode ocorrer de três formas: evaporação, calefação e ebulição.

Condensação: é a passagem do estado gasoso para o estado líquido. A condensação de um gás para o estado líquido é denominada de liquefação.


Ponto de Ebulição: é a temperatura constante na qual um líquido passa para o estado gasoso.

Sublimação: é passagem do estado sólido diretamente para o estado gasoso.


E. Densidade

É a relação entre massa (em gramas) de uma amostra de matéria e o volume (geralmente em cm3) ocupado por esta amostra.

 

Quando dizemos que um material é mais denso que o outro, significa que, comparando-se volumes iguais de ambos, o mais denso é o que possui maior massa.


Fonte: Professor Paulo César, do site Portal de Estudos em Química (reprodução devidamente autorizada ao portal VestibulandoWeb).

Escrito por escolalegal às 16h10
[ ] [ envie esta mensagem ]

07/11/2012


ELEIÇÃO PARA CONSELHEIRO TUTELAR - PARTICIPE!

VOTE PROF. MÊNCIO DO CIEP (veja currículo no facebook - Mêncio Toledo)


Dia 25 novembro das 8-13hs. Levar título e RG.

Confira os locais para votação:

Escrito por escolalegal às 16h33
[ ] [ envie esta mensagem ]

06/11/2012


Locais de votação para Conselheiro Tutelar de Americana - 25 Novembro 8-13hs

Escrito por escolalegal às 10h32
[ ] [ envie esta mensagem ]

25/10/2012


Eleição para conselheiro tutelar dia 25 de novembro. Compareça! Seu voto é facultativo, mas ele pode fazer a diferença no futuro das crianças!

Escrito por escolalegal às 10h49
[ ] [ envie esta mensagem ]

19/09/2012


21 de setembro - dia da árvore

Escrito por escolalegal às 08h33
[ ] [ envie esta mensagem ]

17/07/2012


Novo PNE aprovado pela câmara federal - 10% do PIB para a educação?

Plano Nacional de Educação - PNE

O projeto de lei que cria o Plano Nacional de Educação (PNE) para vigorar de 2011 a 2020, foi enviado pelo governo federal ao Congresso em 15 de dezembro de 2010. O novo PNE apresenta dez diretrizes objetivas e 20 metas, seguidas das estratégias específicas de concretização. O texto prevê formas de a sociedade monitorar e cobrar cada uma das conquistas previstas. As metas seguem o modelo de visão sistêmica da educação estabelecido em 2007 com a criação do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). Tanto as metas quanto as estratégias premiam iniciativas para todos os níveis, modalidades e etapas educacionais. Além disso, há estratégias específicas para a inclusão de minorias, como alunos com deficiência, indígenas, quilombolas, estudantes do campo e alunos em regime de liberdade assistida.

Universalização e ampliação do acesso e atendimento em todos os níveis educacionais são metas mencionadas ao longo do projeto, bem como o incentivo à formação inicial e continuada de professores e profissionais da educação em geral, avaliação e acompanhamento periódico e individualizado de todos os envolvidos na educação do país — estudantes, professores, profissionais, gestores e demais profissionais —, estímulo e expansão do estágio. O projeto estabelece ainda estratégias para alcançar a universalização do ensino de quatro a 17 anos, prevista na Emenda Constitucional nº 59 de 2009.

A expansão da oferta de matrículas gratuitas em entidades particulares de ensino e do financiamento estudantil também está contemplada, bem como o investimento na expansão e na reestruturação das redes físicas e em equipamentos educacionais — transporte, livros, laboratórios de informática, redes de internet de alta velocidade e novas tecnologias.

O projeto confere força de lei às aferições do índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb) — criado em 2007, no âmbito do PDE — para escolas, municípios, estados e país. Hoje, a média brasileira está em 4,6 nos anos iniciais do ensino fundamental (primeiro ao quinto ano). A meta é chegar a 6 (em uma escala até 10) em 2021. Outra norma prevista no projeto é confronto dos resultados do Ideb com a média dos resultados em matemática, leitura e ciências obtidos nas provas do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa). Em 2009, a média foi de 395 pontos. A expectativa é chegar a 473 em 2021.

O novo plano dá relevo à elaboração de currículos básicos e avançados em todos os níveis de ensino e à diversificação de conteúdos curriculares e prevê a correção de fluxo e o combate à defasagem idade-série. São estabelecidas metas claras para o aumento da taxa de alfabetização e da escolaridade média da população.

Entre outras propostas mencionadas no texto estão a busca ativa de pessoas em idade escolar que não estejam matriculadas em instituição de ensino e monitoramento do acesso e da permanência na escola de beneficiários de programas de transferência de renda e do programa de prestação continuada (BPC) destinado a pessoas com deficiência. O documento determina a ampliação progressiva do investimento público em educação até atingir o mínimo de 7% do produto interno bruto (PIB) do país, com revisão desse percentual em 2015.

Acesse o Projeto de Lei.

Escrito por escolalegal às 16h23
[ ] [ envie esta mensagem ]

16/07/2012


Para que serve um vereador?

Cesar Maia

Sobre as nossas Câmaras Municipais

A Constituição de 88 deu força a vereadores. Mas, com o tempo, eles deixaram de representar bairros ou ideologias. Hoje em dia, quase todos são de clientela

O processo constituinte de 1986 (eleições), 1987 e 1988 ocorreu num auge do movimento municipalista liderado pelo próprio governador de São Paulo, Orestes Quércia. A começar pelo artigo primeiro da nova Constituição, que incluiu os municípios como entes federados, igualando seu status político ao dos Estados. É o único caso no mundo de Federação com esse status municipal.

A reforma tributária aprovada na Constituinte beneficiou especialmente os municípios, que passaram de 14% da carga tributária nacional distribuída para 20%, um crescimento de mais de 40%.

Nesse quadro, as mais beneficiadas foram as capitais e grandes cidades. Depois da Constituinte, os Estados perderam participação, mas os municípios praticamente não.

As capitais enfrentavam forte crise financeira. O exemplo mais eloquente era a cidade do Rio de Janeiro, que quebrou. Mudanças nos impostos únicos sobre lubrificantes e combustíveis, energia elétrica e telecomunicações foram decisivas.

Antes, os municípios recebiam, quando recebiam, uma pequena porcentagem dos impostos únicos. Com a efetivação da nova Constituição, um ano depois as capitais foram financeiramente recuperadas.

Além disso, os municípios passaram a ter poder concorrente com os Estados em todas as funções de governo, exceto aquelas que a Constituição explicitamente elencava, como segurança pública, Justiça, Ministério Público e Tribunais de Contas. Assim mesmo, as cidades do Rio e São Paulo mantiveram seus tribunais de contas municipais.

As Câmaras Municipais tiveram seus poderes exponenciados. O maior deles foi quanto aos parâmetros e regras urbanísticas.

Até 1988, cabia ao poder executivo (prefeitos), por ato administrativo próprio, definir tudo sobre o uso do solo urbano. A partir de 1988, qualquer mudança de parâmetro urbanístico deve ser feita por lei.

Agregue-se a isso outros poderes dos vereadores: legislar sobre alíquotas dos tributos existentes, definir todas as posturas municipais (uso das ruas e calçadas), estabelecer, por iniciativa própria, normas para transportes, meio ambiente, ocupação sub-regional da cidade... Um exemplo é o plano diretor e a possibilidade permanente de emendá-lo.

No entanto, um ano depois, foi derrubado o muro de Berlim. Em pouco tempo, desintegraram-se a União Soviética e a Guerra Fria.

Com isso, a estrutura das Câmaras Municipais das capitais mudou. Elas contavam com vereadores de bairro, vereadores temáticos, vereadores ideológicos, além dos da tradicional clientela. Com o tempo, os ideológicos foram desaparecendo. Os comunitários -eleitos em sua própria base de bairro-, reduzidos (no caso do Rio, a dois). Com os temáticos aconteceu a mesma coisa (também dois, no caso do Rio).

Hoje, quase todos os vereadores são de clientela, com seus centros sociais e seus favores. Para isso, precisam de apoio. Depois da eleição de prefeito, aderem ao eleito no PG, o Partido do Governo. Em geral, não exercem o poder que têm no processo legislativo, mas buscam usar o voto para conseguir apoio para as suas ações de clientela.

Foram, assim, duas curvas pós-88 dos vereadores. Uma imediatamente ascendente: o poder constitucional adquirido. A segunda, progressivamente descendente. Cruzam-se, até a cristalização de uma enorme maioria galopando políticas de clientela. Entre as duas, uma taxa de troca que se cristaliza nos anos 2000.

O eleitor pragmaticamente termina com seu voto atraído para o que lhe parece prático: um representante de suas demandas de clientela. E, com isso, as necessidades fundamentais do eleitor ficam à margem. Vale lembrar Eva Peron: "Onde há uma necessidade, há um direito".

Direitos não são conquistados através de clientelas, mas de políticas públicas orgânicas.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do jornal. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo. debates@uol.com.br

CESAR MAIA, 67, é economista. Foi prefeito do Rio de Janeiro por três mandatos (1993-1996, 2001-2004 e 2005-2008)

Escrito por escolalegal às 13h21
[ ] [ envie esta mensagem ]

04/07/2012


UM EXEMPLO DE SUPERAÇÃO – CASO DE UM ALUNO DO NOVO TELECURSO

                 Este texto foi preparado para uma cerimônia do projeto "Culto à pessoa humana", desenvolvido no CE 101. Desejo descanso para meus colegas neste recesso e essa fica para meu amigo Amarildo:

"VAI CURÍNTIA"

               

               Vanei é um dos alunos que ficam na memória de todo professor. Aluno do EJA, antigo supletivo, tem características diferentes do aluno regular. Na educação de jovens e adultos pesam os fatores idade, trabalho, turno, anos longe da escola, família, filhos ou netos.

                Mas a garra e a motivação para vencer os trouxeram de volta para os estudos. Muitos almejam o crescimento profissional, mas alguns retornam pelo simples prazer do estudo ou a oportunidade de ajudar os filhos nas tarefas escolares.

                Vanei é uma referência como colega de classe, como profissional, como pai de família e como membro atuante da paróquia Nossa Senhora do Socorro no bairro Parque das Nações. Por causa do trabalho e por falta de informação, ele teve que interromper os estudos ainda jovem e retornou já homem feito por imposição do mercado de trabalho. Eu digo que os jovens do ensino médio estão vivendo o melhor momento da vida deles pois estão cultivando amizades que durarão por toda a vida e a preocupação é apenas estudar.

                Então eu vejo com muita preocupação o fato de muitos alunos do ensino médio não se prepararem para uma prova, não entregarem trabalhos nas datas combinadas, não respeitar o colega ou o professor. Um dia  vocês serão profissionais e dentro de uma empresa as coisas não funcionam assim.

                Hoje vanei sonha alto. Além do trabalho em uma multinacional, se dedica no curso de engenharia elétrica e tenho certeza que no futuro será conhecido como engenheiro Vanei! Mas hoje o maior orgulho dele é ser o pai da Júlia.

Escrito por escolalegal às 15h42
[ ] [ envie esta mensagem ]

04/05/2012


Municipalização de escolas emperra em Americana

03/05/2012

09:41

Aline Macário

Falta de certidão de débito impede municipalização

Prefeitura perdeu prazo para levar documentos à Secretaria de Educação e repasse de escolas para o município é adiado para 2013

Portal liberal.com.br

Alunos têm aulas em prédio do Estado, mesmo sem o convênio com a Prefeitura de Americana

Arquivo / O Liberal

Alunos, pais e professores que aguardam a municipalização de cinco escolas estaduais de Americana terão que adiar os planos até 2013 para que a medida seja efetivamente adotada. A Prefeitura perdeu o prazo para apresentar a documentação exigida pelo Governo do Estado para a elaboração do convênio de transferência da administração das unidades ao município. De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria estadual de Educação, o prazo venceu na segunda-feira. Agora, o processo de municipalização só pode ser retomado no ano que vem.

Uma das causas do processo ter emperrado pode ter sido a falta de uma CND (Certidão Negativa de Débito), exigida pelo governo, mas que a Prefeitura não possui por ter pendências com o Governo Federal.

Em fevereiro, a Prefeitura chegou a convocar uma entrevista coletiva para anunciar que havia conseguido uma liminar na Justiça Federal para a emissão do documento. Há dois meses, o secretário de Fazenda, José Antonio Patrocínio, voltou a garantir que a Prefeitura possuía o documento, apesar de uma decisão emitida pela 1ª Vara Federal de Piracicaba que negou a expedição da certidão. A informação era de que a decisão tratava de outro mandado de segurança ajuizado pela Prefeitura, que pedia a separação das dívidas da Fusame (Fundação de Saúde do Município de Americana) e da administração direta. A Secretaria de Educação informou que não recebeu nenhuma comunicação sobre a emissão da CND para a Prefeitura.

Ontem, no portal do Tesouro Nacional, a Prefeitura de Americana contava com pelo menos três situações pendentes, que impedem a emissão da CND. Uma delas é referente à falta de regularidade previdenciária; a outra é a ausência da apresentação das contas de 2011 e a terceira se refere ao exercício da plena competência tributária. Esses dois últimos itens deveriam ter sido atendidos pela Prefeitura até 30 de abril, com o encaminhamento de informações sobre a regularização ao Tesouro, o que não aconteceu.

Ontem, a Prefeitura não prestou esclarecimentos sobre o assunto.

Espera
À espera da municipalização, alunos do Ciep (Centro Integrado de Educação Pública) do bairro Jaguari já utilizam salas da Escola Estadual Jonas Corrêa de Arruda Filho. A secretaria informou que, sem a concretização do convênio, os alunos prosseguem ligados à rede municipal, apenas ocupando salas ociosas do prédio estadual. Além da Jonas Corrêa, devem ser municipalizadas as escolas estaduais Marcelino Tombi, do bairro São Roque; Delmira de Oliveira Lopes, do Mathiensen; Dr. João de Castro Gonçalves, do Conserva e Professor Octávio Soares de Arruda, da Vila Brieds.

Escrito por escolalegal às 14h53
[ ] [ envie esta mensagem ]

04/04/2012


ESTE NÃO É UM PAÍS SÉRIO! SÓ DINHEIRO NÃO RESOLVE O PROBLEMA DA EDUCAÇÃO...

04/04/201210h03 > Atualizada 04/04/201211h07

Pais e alunos acusam professores de fraudar avaliação de SP que dá bônus salarial
Comentários 2

Do UOL, em Sorocaba

 

Um resultado que deveria ser comemorado por pais e alunos se transformou em motivo de polêmica na Escola Estadual Reverendo Augusto da Silva Dourado.

A unidade de ensino, que fica em Sorocaba, a 90 quilômetros de São Paulo, obteve 9,3 no Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo) de 2011, entre as escolas dos anos iniciais do ensino fundamental. O índice vai de 0 a 10.

No entanto, pais e alunos acusam a escola de fraudar a avaliação estadual, que é revertida em bônus salarial para professores e funcionários. Segundo os relatos, os estudantes teriam sido ajudados pelos professores durante a aplicação das provas de português e matemática.

Alguns pais de alunos ouvidos pela reportagem consideram que o resultado, que coloca a unidade no topo do ranking entre escolas de 1º ao 5º ano, não reflete o nível de aprendizado de seus filhos. “Não adianta nada ver essa nota e os nossos filhos continuarem com dificuldades. Essa não é a realidade”, afirma Alessandra da Silva, mãe de um aluno da Reverendo Augusto da Silva Dourado.

Acusação de fraude na prova

Os alunos conseguiram nota máxima em matemática e 9,2 em português, o que resultou na média de 9,3. A nota ultrapassa o dobro da média das escolas do 5º ano de São Paulo, que foi de 4,24. Em 2010, a escola sorocabana obteve uma média de 6,07.

Durante uma visita ao bairro, que fica na zona industrial da cidade, é fácil ouvir comentários sobre o assunto. A mãe de uma aluna que participou da prova disse que a filha tirou dúvidas com uma professora.

“Ela [a aluna] disse que não tinha entendido bem as questões e a professora explicou melhor cada assunto”, afirma Raquel Laminda dos Santos, 30. Ela comentou ainda que o fiscal não teria se incomodado com a presença da professora de classe na sala, durante a avaliação do Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo).

Há relatos, ainda, de que os melhores estudantes teriam respondido mais de uma prova: "Eles terminavam rápido e faziam a prova de quem faltou”, contou uma aluna.

Investigação

A diretora da Escola Estadual Reverendo Augusto da Silva Dourado, Vicentina de Jesus, nega qualquer tipo de fraude. Ela diz que a unidade de ensino se empenhou para melhorar a colocação no ranking. “As pessoas pensam que só alunos de escolas particulares têm o direito a ensino de qualidade e nós mostramos que não”, afirma categórica. “As professoras apenas aplicaram um simulado antes da prova e nesse dia, sim, ajudaram os alunos”, completa.

Por nota, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo informou que já solicitou à Fundação Vunesp, responsável pela aplicação do Saresp, um relatório sobre as circunstâncias da prova realizada na Escola Estadual Reverendo Augusto da Silva Dourado, em Sorocaba. Com base nos esclarecimentos prestados, a secretaria decidirá quais providências serão tomadas.

A secretaria ressalta que o exame não foi aplicado por professoras da própria escola, mas sim por um docente de outra unidade para garantir a idoneidade do Saresp.

Com as denúncias, o Ministério Público em Sorocaba decidiu investigar o caso. O promotor Antonio Domingues Farto Neto pretende acionar as promotorias da Infância e da Juventude e Criminal e a Delegacia da Infância e da Juventude. Ele explicou que o fato de haver premiação aos docentes das escolas que conseguem bons resultados caracterizaria um crime de estelionato se for comprovada a ajuda dos professores.

 

Escrito por escolalegal às 12h53
[ ] [ envie esta mensagem ]

22/03/2012


Plantio de muda de ipê fornecida pelo instituo Estre

Escrito por escolalegal às 15h30
[ ] [ envie esta mensagem ]

12/02/2012


Exercícios de Matemática - revisão

Escrito por escolalegal às 08h49
[ ] [ envie esta mensagem ]

16/01/2012


Vejam as empresas que patrocinam o LIXO do BBB

Ambev, Fiat, Niely, Schincariol e Unilever.

                        

 

FAÇA SUA PARTE E MANDE UM E-MAIL PARA ESTAS EMPRESAS PROTESTANDO!!!

 

Escrito por escolalegal às 23h38
[ ] [ envie esta mensagem ]

Polícia apura se Globo é cúmplice no suposto estupro do lixo do BBB.

Veja áudio do confissão da modelo no link http://www.youtube.com/watch?v=uKsFraizNLk&feature=g-logo&context=G23dcf92FOAAAAAAAAAA

A ministra Iriny Lopes (Política para as Mulheres) enviou um ofício ao Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro. Na peça, remetida na tarde desta segunda (16), pede que sejam adotadas as “providências cabíveis” para esclarecer a suspeita de estupro no BBB 12.

O caso surgiu na madrugada de domingo. Cenas levadas à web açularam a suspeita de que Daniel, um dos participantes do reality show da TV Globo, teria mantido relações sexuais não-consentidas com outra personagem do programa, Monique.

No vídeo, Monique parece estar desacordada. Só Daniel se movimenta sob o edredom. Emnota divulgada na página eletrônica da Secretaria de Políticas para as Mulheres, pasta que pende do organograma da Presidênca, informa-se o porquê do pedido da ministra.

Atribuiu-se a providência a solicitações externas: “O ofício foi elaborado com base em demandas encaminhadas por cidadãs de várias cidades brasileiras à Ouvidoria da Secretaria de Políticas para Mulheres, pedindo providências.”

O texto não informa a origem dos pedidos. Tampouco menciona a quantidade. Anota que a secretaria “tomou conhecimento de que a Polícia Civil do Rio já se mobilizou em torno do caso”.

De fato, a polícia abriu nesta segunda um inquérito. Vai-se apurar a suspeita de abuso sexual. Monique foi chamada pela produção do BBB a um recinto batizado de “confessionário”. Inquirida, disse não se lembrar de ter mantido relações sexuais com Daniel.

O áudio da inquirição de Monique vazou na rede. Não é possível ouvir as perguntas. Mas as respostas soam claras. Quem ouve conclui: se houve sexo, não foi consentido. “Só se ele foi muito mau caráter de ter feito comigo dormindo”, diz ela a certa altura.

Escrito por escolalegal às 23h22
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Perfil

Histórico